Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

o Antissocial

eu até gosto de pessoas, só não gosto daquelas que se ofendem por qualquer coisa. @antissocialblog

o Antissocial

eu até gosto de pessoas, só não gosto daquelas que se ofendem por qualquer coisa. @antissocialblog

Touradas Light

Novembro 06, 2018

al3x

Esta polémica que estalou por causa das touradas, é um indicador relevante da não adaptação aos tempos modernos por parte de um conjunto ou franja da sociedade que habituada aos seus costumes, grita com todas as forças a pouca razão para justificar atos de barbaridade para com os animais.

É certo que se trata de uma tradição quase milenar, e quiçá o Jesus Cristo, até regressou dos mortos para ver umas touradas. Falar no JC não é de todo uma coincidência, porque segundo alguns relatos (filmes no natal e Páscoa), era comum apedrejar mulheres que eram apanhadas em touradas (sou um génio nesta analogia). Esta tradição do apedrejamento perdeu-se e muito bem nesta parte do globo meio civilizado.

As pessoas hoje ao olharem para esta tradição, acham que é completamente desproporcional e irracional, pois a vida humana é muito importante e para isso existem formas mais civilizadas de resolver estes problemas. Mas do outro lado do mundo, existe pessoal que ainda apedreja as mulheres e acha racional, também acha racional meter um cinto na cintura e vir à procura de 40 virgens, numa altura em que de acordo com instagram, as únicas virgens nasceram entre agosto e setembro.

Acredito que o problema das touradas, não querendo aqui criar atritos, está na verdadeira essência da tourada. Que outrora acredito ter desempenhado um papel pagão, substituindo os tradicionais sacrifícios de agradecimento aos deuses, entretanto transformado em algo que possa ser vendido, manipulado e que gera receitas para pequenos grupos de pessoas bem conectadas na sociedade e que com o passar do tempo se transformou pela sua repetição numa tradição. Daqui a uns anos, pagar IMI também vai ser uma tradição.

A verdade é que aos poucos começamos a perceber que esta festa, juntamente com outras festas (o natal também é uma tourada), pode ser substituída por outro tipo de tradição onde se homenageia os touros em vida e as gentes que tratam deles, sem violência e sem excessos para com o animal. Porque usar a desculpa, que para homenagear alguém é preciso espetar-lhe umas bandarilhas estamos a abrir precedentes perigosos. Imaginem que se torna viral esta porra e começam todos a aparecer no instangram com bandarilhas espetadas a achar que é porreiro?

É a sociedade que dita as modas, e aproveito para alertar que o cavaco vai durar mais do que as touradas, por isso em vez de se preocuparem em arranjar desculpas para matar um touro em praça, com todo aquele sangue e sofrimento, arranjem formas de elevar a festa a outro nível.

A pergunta que coloco é como podemos todos ajudar estas pessoas a mudar as bases desta tradição cheia de dor e transformar a mesma em algo mais bonito e que respeite as gentes e as terras lidam com o gado bravo?

90 comentários

Comentar post

Pág. 1/3

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D